Evento Sustentável Show chega ao Mercado Municipal de Curitiba

O Sustentável Show chegou ao Mercado Municipal de Curitiba. O evento, que traz os mais variados temas ligados à sustentabilidade, acontece de 25 a 29 de setembro e conta com exposição de cinco dias e quatro fóruns temáticos.

Os fóruns irão abordar manejo de água, gestão de resíduos, eficiência energética, energias renováveis, mercado de geração distribuída, construções sustentáveis, hortas residenciais e urbanas, além de estudos de caso sobre o mercado municipal com suas problemáticas apresentadas pelos gestores do mercado e as melhores soluções elaboradas coletivamente por pessoas qualificadas e acadêmicos presentes para as demandas apresentadas.

O evento conta com o apoio da Secretaria Municipal de Abastecimento de Curitiba e da Universidade Federal do Paraná. Juntos, eles estão lançando o projeto Pró Metrópole, que estuda práticas mais sustentáveis e de maior produtividade para o cinturão de produção de alimentos da região metropolitana de Curitiba. A exposição, de entrada gratuita, tem o propósito de expor ao público geral, produtos disponíveis que os auxiliem a aplicar sustentabilidade em seus cotidiano e consumo de forma prática e descomplicada.

Quem está convidado?

A exposição trará conteúdo a todos aqueles que buscam hábitos e práticas mais sustentáveis. São esperados os visitantes frequentadores do Mercado Municipal de Curitiba, um público conhecido por já ter engajamento com o tema. O público que ainda não frequenta o mercado, mas se identifica com os propósitos da exposição, terá a vantagem de conhecer também um ponto turístico da cidade.

Para os Fóruns, o público esperado é de profissionais, estudantes, professores, pesquisadores e gestores de instituições que visam ampliar conhecimento e aprimorar seus processos.

Quem estará lá?

A exposição busca conscientizar, de forma simples e acessível, diversas soluções e novidade ligadas à sustentabilidade, como consumo de água e energia elétrica, redução e reaproveitamento de resíduos, uso de biogás, geração de energia, construções sustentáveis, mobiliário inteligente, entre outros.

Já os Fóruns, terão uma abordagem mais técnica, com estudos de caso sobre problemáticas existentes, soluções elaboradas por pesquisadores e universidades e soluções já implantadas como exemplos em funcionamento, suas características e desafios.

Estarão presentes empresas e instituições que aplicam boas práticas em sua gestão, demonstrando como é possível ser competitivo sendo integralmente responsável por toda cadeia produtiva e de consumo.

Fórum ÁGUA

DIA 25 DE SETEMBRO DE 2018

O principal objetivo do Fórum é compartilhar as mais recentes práticas e soluções para captação, distribuição, uso e tratamento da água.

A má qualidade da água e o mau saneamento são mortais. Cerca de cinco milhões de mortes por ano são causadas pela poluição da água potável. A Organização Mundial da Saúde estima que a água potável poderia prevenir 1.4 milhões de mortes de crianças por diarréia a cada ano.

Este precioso recurso natural está a tornar-se mais escasso em certos locais e a sua disponibilidade é uma preocupação social e econômica importante. Atualmente, cerca de um bilhão de pessoas em todo o mundo rotineiramente consomem água imprópria para consumo. A água, no entanto, não é um recurso finito, mas sim se utilizada e reutilizada corretamente, pode se tornar abundante e em quantidades de magnitude maior do que a demandada pelo consumo humano.

A água mantém a vida na Terra e também sustenta todo o estilo de vida da humanidade de forma indispensável, sendo usada para consumo e higiene, produção de alimentos, navegação e geração de energia, dentre muitos outros. Contudo, o uso de quantidades cada vez maiores de água e a falta de cuidado com os dejetos gerados trouxeram uma série de problemas que comprometem a qualidade e a durabilidade dos recursos hídricos. Além disso, apesar de milênios de desenvolvimento do uso dos recursos hídricos, uma fração considerável da população mundial ainda não tem acesso à água de qualidade nem mesmo para consumo próprio. A crescente população e demandas econômicas globais impõem a necessidade de se ampliar o consumo de água para a produção de alimentos e para a indústria. Entretanto os resíduos destas atividades são, em sua maioria, liberados sem nenhuma forma de tratamento para o ambiente comprometendo não só a água, mas todo o ecossistema que dela depende.

A qualidade da água é um conjunto de características físicas, químicas e biológicas que ela apresenta, de acordo com a sua utilização. Os padrões de classificação mais usados pretendem classificar a água de acordo com a sua potabilidade, a segurança que apresenta para o ser humano e para o bem estar dos ecossistemas. Assim, de acordo com a sua utilização, existe um conjunto de critérios e normas para a qualidade da água, que variam com a sua finalidade, seja ela consumo humano, uso industrial ou agrícola, lazer ou manutenção do equilíbrio ambiental.

Fórum RECICLAGEM

26 DE SETEMBRO DE 2018

O principal objetivo do Fórum é compartilhar as mais recentes práticas e soluções para reciclagem.

No Brasil, estima-se que cada pessoa produza, em média, 1,06 kg de resíduo sólido por dia segundo a Abrelpe. Desta forma, uma cidade como Curitiba produziria mais de 3.500 toneladas de lixo diariamente.

Os resultados da reciclagem são expressivos tanto no campo ambiental como no econômico e social.

No meio ambiente, tanto a reciclagem, como a reutilização podem reduzir a acumulação progressiva de resíduos, evitando a produção de novos materiais, como por exemplo o papel, que exigiria o corte de mais árvores, com emissões de gases como metano e gás carbônico, consumo de energia, agressões ao solo, ar e água, entre outros tantos fatores negativos.

No aspecto econômico a reciclagem contribui para o uso mais racional dos recursos naturais e a reposição daqueles recursos que são passíveis de reaproveitamento. No âmbito social, a reciclagem não só proporciona melhor qualidade de vida para as pessoas, através da preservação das condições ambientais, como também tem gerado muitos postos de trabalho e rendimento para pessoas que vivem nas camadas mais pobres.

Fórum LAR&HORTA

27 DE SETEMBRO DE 2018

O principal objetivo do Fórum é compartilhar as mais recentes práticas e soluções para lares e construções sustentáveis e amigos do meio ambiente e hortas residenciais, comunitárias e urbanas

Construção sustentável é um conceito que denomina um conjunto de medidas adotadas durante todas as etapas da obra que visam a sustentabilidade da edificação. Através da adoção dessas medidas é possível minimizar os impactos negativos sobre o meio ambiente além de promover a economia dos recursos naturais e a melhoria na qualidade de vida dos seus ocupantes. A implantação dessas medidas pode ser adotada tanto em edifícios em construção como naqueles já construídos.

As hortas são realizada geralmente em pequenas áreas e destina-se sobretudo a uma produção para utilização e consumo próprio ou para a venda em pequena escala, em mercados locais. Pratica-se principalmente em quintais, em terraços ou pátios, ou ainda em hortas urbanas – espaços comunitários ou espaços públicos não urbanizados.

Esse movimento surgiu no final da década de 70 e concentra-se na criação de uma harmonia entre a obra final, o seu processo de construção e o meio ambiente. Pretende evitar em cada um dos passos agressões desnecessárias para o ambiente, otimizando processos de construção, reduzindo os resíduos resultantes, e diminuindo os consumos energéticos do edifício. Tem ainda como objectivo que a construção atinja um nível de conforto térmico e de qualidade do ar adequado, reduzindo assim a necessidade da utilização de sistemas de ventilação ou aquecimento artificiais.

São considerados materiais ecológicos (ecoeficientes) aqueles produzidos com menor impacto no meio ambiente. Entre os utilizados na construção sustentável pode-se citar: blocos de terra comprimida, o adobe, tintas sem compostos orgânicos voláteis tóxicos, materiais reciclados, madeira certificada ou de curto ciclo de renovação, tijolo ecológico (bloco de terra comprimida), entre outros. Os materiais regionais são priorizados na construção sustentável, pois reduzem o percurso de transporte e emissão de gás carbônico da queima do combustível e priorizam o desenvolvimento do comércio/indústria regional.

Fórum ENERGIA

28 DE SETEMBRO DE 2018

O principal objetivo do Fórum de Sustentabilidade em ENERGIA é compartilhar as mais recentes práticas e soluções para geração, distribuição, armazenamento e uso de energia. Eficiência energética e energia renovável são os “dois pilares ” de uma política energética sustentável.

De acordo com o PNE 2050 – o principal estudo prospectivo de longo prazo para o setor energético, elaborado pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE, 2014) – haverá um aumento populacional no Brasil da ordem de 30 milhões de habitantes entre 2012-2050 e o consumo de energia elétrica deverá triplicar até 2050, passando dos atuais 513 TWh para 1.624 TWh (Terawatt-hora). Para acompanhar esse expressivo aumento na demanda, será necessário ampliar a capacidade instalada do país, diversificando ainda mais a matriz energética brasileira.

Usinas hidrelétricas produzem mais de 90% da energia elétrica consumida no Brasil. Eles dependem das águas dos rios em níveis adequados em suas represas para gerar energia. A falta de chuvas, de investimentos e aumento do consumo resultou em racionalização de energia elétrica, conhecido como apagão, nos anos 2001 e 2002. A construção de novas usinas hidrelétricas significa impactos ambientais como grandes áreas que são inundadas, alterando o ecossistema.

Novas barragens causam elevados custos sociais e ambientais devido à inundação da terra e pela destruição dos habitats de animais, plantas e comunidades inteiras que, muitas vezes, não são compensadas (reassentamento ou indenização). Grandes usinas hidrelétricas inundam imensas áreas de florestas e emitem grandes quantidades de metano para a atmosfera. Só existe desenvolvimento sustentável com energia vinda de novas fontes renováveis. Pequenas hidrelétricas podem produzir energia de forma descentralizada, com impacto ambiental reduzido. Essa opção pode ser implementada em várias regiões do país fazendo uso de cascatas naturais. Muitos agricultores brasileiros escolheram esta forma de produção de energia hidrelétrica.

Em um horizonte de longo prazo, estima-se que matriz energética brasileira apresente redução gradativa da participação da energia hidrelétrica. Nesse sentido, o estudo e implemento de energias limpas e renováveis serão imprescindíveis para atender a crescente demanda e diminuir o impacto ao meio ambiente.

MERCADO MUNICIPAL DE CURITIBA

Fundado em 02 de agosto de 1958, até hoje o Mercado Municipal é o principal e mais tradicional endereço para compras de Curitiba.

Nas bancas de hortigranjeiros e nas lojas de delicatessens, o consumidor encontra produtos como: bebidas, queijos e vinhos de diversas procedências, ervas medicinais, temperos e especiarias,iguarias, conservas, pescados, embutidos, carnes exóticas e com cortes especiais.

Pode-se curtir momentos agradáveis nos restaurantes étnicos na praça da alimentação onde é ponto de encontro dos curitibanos de diversas gerações.

O Mercado tem uma uma circulação de 60 mil pessoas semanalmente, público esse, que busca qualidade de vida e sustentabilidade, amplamente consciente dos impactos de seus hábitos de consumo, sendo perfeito para o propósito do evento.

ESPAÇO MAURÍCIO BURMESTER DO AMARAL

Localizado no mercado Municipal de Curitiba, o espaço Maurício Burmester do Amaral fica no pavimento superior do mercado, logo acima do setor de orgânicos. O espaço conta com uma área de exposição e um moderno auditório para 172 pessoas, contando com equipamentos modernos de áudio e vídeo com sistema de tradução instantânea.

Endereço: R. da Paz, 606 – Alto da Rua XV, Curitiba – PR, 80.060-160

Localizado em frente à Rodoferroviária de Curitiba, o Mercado Municipal fica um local de muito fácil acesso para todos vindos de carro, ônibus ou até mesmo a pé por moradores da região e turistas hospedados nos hotéis próximos.

HOTÉIS E TRANSPORTE

Hotéis próximos

Novo Vernon Hotel (170m)

Av. Presidente Affonso Camargo, 455 – Centro, Curitiba – PR, CEP: 80060-090
Telefone:+55 (41) 3362-1222

Golden Park Curitiba (550m)

R. Mariano Torres, 951 – Centro, Curitiba – PR, CEP: 80060-120
Telefone:+55 (41) 3121-2828

Hotel ibis Budget Curitiba Centro (540m)

R. Mariano Torres, 927 – Centro, Curitiba – PR, CEP: 80060-120
Telefone:+55 (41) 3218-3838

Real Plaza Flat Service (300m)

Rua Jose de Alencar, 20 – Cristo Rei, Curitiba – PR, CEP: 80050-240
Telefone:+55 (41) 3025-0999

Transportes

Aeroporto Internacional Afonso Pena (16,5km)

Onibus Executivo Aeroporto-Rodoferroviária

R$ 14,00 (ida) – R$ 25,00 (ida e volta)

Rodoviária de Curitiba

(em frente, atravessando a Av. Pres. Afonso Camargo)

Linhas de Ônibus

Biarticulado (vermelho)

estação-tubo Rodoferroviária, linha Campo Comprido/Centenário.

Convencional (amarelo)

Cristo Rei.

Circular Centro (branco)

Inter-Hospitais.

Ônibus turismo

Carro

Há muitos estacionamentos na região, inclusive do próprio mercado, preços variam de R$ 8,00 a R$ 10,00 a hora.

Por que expor?

A exposição será uma oportunidade única para empresas que compartilham da visão da sustentabilidade e se dedicam a criação produtos para esse fim, mostrarem ao público sua qualidade e seus esforços para melhorar a qualidade de vida da sociedade.

Quero expor

Preencha o formulário ou envie um email para ser@sustentavel.show e entraremos em contato.

Quero visitar!

A visitação à exposição é gratuita, basta ir ao Mercado Municipal de Curitiba e se encaminhar ao espaço Maurício Burmester do Amaral. A exposição acontece nas seguintes datas:

Dias 25 ao 29 de Setembro de 2018, das 08:00 às 18:00

Para assistir aos Fóruns, é necessário registrar-se nas páginas correspondentes:

25/09 | Fórum ÁGUA: www.sustentavel.show/forum-agua

26/09 | Fórum RECICLAGEM: www.sustentavel.show/forum-reciclagem

27/09 | Fórum ENERGIA: www.sustentavel.show/forum-energia

28/09 | Fórum LAR&HORTA: www.sustentavel.show/forum-lar-horta