Mundo desperdiçará 66 toneladas de alimentos por segundo, afirma estudo

O documento prevê que o desperdício tende a aumentar sobretudo nos países em desenvolvimento.

A estimativa atual da ONU é de um terço dos alimentos produzidos no mundo são desperdiçados. Esta taxa alarmante pode piorar, segundo um novo estudo divulgado no relatório do Boston Consulting Group (BCG) -, uma empresa dos Estados Unidos de consultoria empresarial. Podemos chegar a perda de 2,1 bilhões de toneladas, equivalente a 66 toneladas por segundo, caso medidas não sejam tomadas até 2030.

Desperdício em cada canto

Ricos, pobres: todos desperdiçam. Porém, o relatório aponta diferenças no tipo de desperdício praticado entre os países. Nos países em desenvolvimento o desperdício ocorre durante os processos de produção, já nos países ricos o desperdício acontece, principalmente, pelos varejistas e consumidores. Neste último caso, os alimentos são jogados fora quando não atendem a padrões estéticos (a chamada “fruta feia”) ou pelo “simples” motivo do consumidor ter comprado além do que precisava.

O documento prevê que o desperdício tende a aumentar sobretudo nos países em desenvolvimento. Neste quesito, um grande aumento será visto na região da Ásia. E a resposta até então para este grande problema “é fragmentada e inadequada”, diz o relatório, e enquanto a situação piora em um ritmo muito rápido.

Qual a solução?

Apesar de não apresentar soluções definitivas para resolver o problema, o relatório aponta alguns caminhos que podem ser traçados. Entre eles: mudanças na regulamentação governamental (que hoje não incentiva a redução de resíduos), maior protagonismo por parte das empresas (que devem investir em tecnologias para melhor adequação entre oferta e demanda) e a criação de um rótulo ecológico. Sobre este último item, o relatório explica que deveria ser criado algo semelhante às campanhas de comércio justo para incentivar os clientes a comprarem de empresas comprometidas com a redução do desperdício.

Só não espere que apenas um grupo seja responsável pela reversão deste caminho de desperdício que o mundo traça hoje. “Um avanço real exigirá compromisso e ação coordenada de consumidores, governos, ONGs, agricultores e empresas”, ressalta o documento.

Situação no Brasil

Recentemente, a Associação Brasileira de Supermercados (Abras), na capital paulista, divulgou um levantamento onde afirma que os supermercados brasileiros desperdiçaram, em 2017, o equivalente a R$ 3,9 bilhões de alimentos. E pasmem: o número representa uma queda em relação a 2016. Por aqui, a maior parte das perdas ocorre no processo de manuseio e transporte dos alimentos.

0 Comments

No comments!

There are no comments yet, but you can be first to comment this article.

Leave reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *